Message



II Ciclo de Conferências de Segurança e Proteção Civil

A Segurança Individual debatida no ISCIA


Publicado a: 21 Novembro 2014

A Segurança Individual dos Agentes de Proteção Civil foi mais uma vez alvo de discussão no auditório do ISCIA, no passado sábado, dia 15 de novembro. Numa conferência que se estendeu ao longo de todo o dia, foram apresentados e debatidos os mais diversos temas relacionados com esta área. Na abertura, a cargo do Engenheiro Victor Brito (Coordenador do Departamento de Segurança e Riscos do ISCIA) do Dr. Vítor Reis (Vogal da Direção da Escola Nacional de Bombeiros), e do Cmdt. José Bismark (Comandante de Operações de Socorro do Distrito de Aveiro), pretendeu-se mostrar a importância da transmissão de conhecimentos nesta área, não só para os que lhe estão diretamente ligados, mas para a comunidade em geral.

O início dos trabalhos, moderado pelo Dr. António Pinho Leite, contou com as apresentações do Prof. Especialista Paulo Gil Martins (Coordenador da Licenciatura em Engª de Proteção Civil, ISEC), e da Engª Gilda Santos (Especialista em Vestuário Técnico e Funcional na Unidade de Engenharia de Produto do CITEVE), que abordaram os temas “Segurança individual…responsabilidade de quem? e “Fibras, materiais, inovações e conceção de EPI”, respetivamente. 
Ainda durante a manhã, o Dr. João Sousa (gerente da Onwork Technical and Functional Wear) veio falar sobre "A importância do envolvimento dos Agentes de Proteção Civil na conceção de um EPI florestal" (Uma retrospetiva do projeto da Onwork com os BV de Carregal do Sal) e a Eng.ª Verónica Catarino (Coordenadora do Centro de Formação Especializado em Incêndios Florestais da ENB), trouxe uma comunicação intitulada "Segurança na Frente de Fogo em Incêndios Florestais", num 2º painel que foi moderado pela Prof. Doutora Tânia Fontes (Docente do ISCIA).

Da parte da tarde, a Dr.ª Sónia Moutinho (Formadora no Centro de Formação de S. João da Madeira - ENB) fez um enquadramento sobre a "Segurança na Frente de Fogo em Incêndios Urbanos" e a Prof. Doutora Ana Félix (Delegada de Saúde de Aveiro; Diretora do laboratório ACeS Baixo Vouga; Docente do ISCIA e da UA), trouxe a esta conferência a "Proteção e Segurança: A primeira linha de defesa - O exemplo do Ébola". A "Proteção Individual em Estabelecimentos SEVESO" foi o tema levado a discussão pelo Dr. António Pinho Leite (Técnico Superior de Higiene e Segurança no Trabalho, responsável pelo LabTEC do ISCIA), e o "Stress e adaptação a situações de risco em Bombeiros", pelo Prof. Doutor Rui Gomes (Professor auxiliar, Universidade do Minho), no 4º painel, moderado pelo Engº Victor Brito.

Contando com o auditório cheio, esta conferência, cuja organização foi bem assumida pela Mestre Ângela Seixas (Coordenadora da Licenciatura em Segurança Comunitária do ISCIA) trouxe à comunidade aveirense, e não só, uma série de conhecimentos englobados pela área da Proteção Individual, principalmente no que diz respeito aos próprios agentes envolvidos na ação.


Paulo Gil Martins

Especialista em Proteção Civil, Comandante Operacional Nacional da ANPC de 2005 a 2011, Coordenador da Licenciatura em Eng.ª da Proteção Civil (ISEC Lisboa), Docente do Ensino Superior e Diretor do Observatório de Proteção Civil e Safety (ISEC Lisboa).

"Segurança Individual… responsabilidade de quem?" - O orador iniciou a sua comunicação com uma questão latente nesta área da segurança que é “as coisas só acontecem aos outros”, alertando para o facto de, muitas vezes, os próprios delegados de segurança serem os primeiros a infringirem algumas normas, precisamente pelo excesso de confiança. Transmitiu, acima de tudo, uma imagem de positivismo, principalmente no que diz respeito ao dever de aprender a lidar com as mais diversas situações e praticá-las, dando exemplo de situações práticas e do tipo de coisas que devem ou não ser feitas nos mais variados cenários. A responsabilidade não é transmissível, é de cada um destes profissionais nos teatros de operações, em conjunto com as organizações que os chefiam e coordenam.

Gilda Santos

Mestre em Design e Marketing pela Universidade do Minho e Project Management Professional pelo Project Management Institute (USA). Especialista em Vestuário técnico e Funcional na Unidade de Engenharia de Produto do Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e Vestuário de Portugal - CITEVE

"Fibras, Materiais, Inovações e Conceção de EPIs"
A sua comunicação teve início com a apresentação do CITEVE, mostra de alguns cuidados e apresentação de fibras, materiais e vestuário de proteção (que cumprem os vários parâmetros normativos), a própria conceção dos EPIs, as principais partes do corpo a serem protegidas e de que forma, e a apresentação da legislação que, atualmente, rege esta área. Foram referidos alguns estudos e desenvolvimentos neste campo da segurança, o que gerou a criação de uma listagem de requisitos gerais de vestuário.

João Menezes de Sousa

Licenciado em Enfermagem na Calouste Gulbenkian, Pós-graduado em Gestão da Inovação e Criatividade. Gerente da Onwork Technical and Functional Wear

"A importância do envolvimento dos Agentes de Proteção Civil na conceção de um EPI florestal"
O orador começou por explicar como surgiu esta empresa, os seus desenvolvimentos tecnológicos e como surge o trabalho com os Bombeiros Voluntários de Carregal do Sal. Deu especial enfase ao facto de que o EPI resultante, atualmente adotado pela ANPC, só foi possível com este trabalho de proximidade.

Verónica Catarino

Mestre em Engenharia de Recursos Florestais, Coordenadora do Centro de Formação Especializado em Incêndios Florestais, na Lousã, desde 2009, Formadora Especialista da Escola Nacional de Bombeiros desde 2001.​

"Segurança na Frente de Fogo em Incêndios Florestais"
Falou nos pormenores técnicos em relação à segurança em incêndios florestais e que cores devem ser utilizadas. Um outro objeto de discussão foi a posição dos veículos nos teatros de operações, e o facto de estes estarem ou não munidos de mecanismos de proteção. "O risco é inerente ao combate" e, partindo deste facto, importa garantir as melhores condições de segurança. Apontou como os principais fatores que garantem a segurança, o conhecimento, a formação, o treino, a experiência, as EPI, a segurança coletiva, as condições no terreno, e o conhecimento do comportamento IF.

Sónia Moutinho

Licenciada em Biologia pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, Pós-graduação em Higiene e Segurança no Trabalho, Formadora Interna da ENB na área de Incêndios Urbanos e Industriais desde 2009

"Segurança na Frente de Fogo em Incêndios Urbanos"
A oradora referiu que a segurança baseia-se em três pilares: o equipamento de proteção individual; a organização da zona de sinistro; e a garantia do triângulo de segurança. Além disso, foram ainda expostas as principais situações de perigo em CIUI.

Ana Maria Félix

Delegada de Saúde e Diretora do Laboratório de Saúde Pública de Aveiro. Docente do ISCIA e Prof.ª Auxiliar na Seção Autónoma de Ciências da Saúde da Universidade Aveiro.

"Proteção e Segurança: A primeira linha de defesa - O exemplo do Ébola" 
O foco da sua apresentação foi o caso Ébola, segundo a oradora, a doença contagiosa mais grave no mundo, atualmente. Ana Félix apresentou-nos a doença no seu todo, a definição, a epidemiologia, a clínica e patogénese, a orientação de casos suspeitos e ainda formas de a prevenir.

António Pinho Leite

Licenciado em Segurança Comunitária pelo ISCIA. Técnico superior de segurança e Auditor para a Qualidade, Ambiente e Segurança no Complexo Químico de Estarreja. Consultor de empresas e formador especializado na área de Higiene e Segurança no Trabalho. Responsável técnico pelo LABTec – Laboratório de Higiene Ocupacional do ISCIA.

"Proteção Individual em Estabelecimentos SEVESO"
O orador começa por explicar por que são designados de estabelecimentos SEVESO. Neste tipo de estabelecimentos foram focados os mais diversos temas relacionados tais como a emissão de substâncias perigosas para a atmosfera, os acidentes com incêndios e explosões e os respetivos efeitos e, ainda, os derrames líquidos orgânicos e inorgânicos. Afirmou também que a existência de um plano de emergência interno e externo são elementos fundamentais para lidar com uma situação perigosa.

Rui Gomes

Professor Auxiliar na Escola de Psicologia da Universidade do Minho, Doutorado em Psicologia, pela Universidade do Minho

"Stress e adaptação a situações de risco em Bombeiros"
As grandes temáticas deste investigador e que foram apresentadas na sua comunicação foram a procura da avaliação de como é que as pessoas se adaptam a situações de transição, sendo que o stress é uma dessas situações, qual o rendimento que as pessoas têm nessas situações e como se desenvolvem. Referiu que a profissão de Bombeiro é, só por si, uma profissão stressante, visto que existe um conjunto de fatores que, sendo comuns a outras profissões, acresce o risco de vida para o próprio e para os outros. Levantou questões como a necessidade de dotar os Bombeiros de mecanismos que os ajudem a reagir melhor em situações de grande stress, de modo a garantirem a sua própria segurança e a dos outros.


Partilhe nas suas redes sociais:

Próximos Eventos


Topo