Message

Um curso destinado a Educadores e Professores!

Topo
Formação Continua

Competências de autorregulação e desenvolvimento profissional dos professores

Departamento de Psicologia e Educação

Coordenação

Victor Reis

Os desafios atuais da educação formal são cada vez maiores e os professores vivenciam experiências emocionalmente desalinhadas com a vontade e o empenho em partilhar conhecimentos e criar nos alunos a vontade em conhecer e aprender mais
Hoje em dia, os professores assumem um papel relevante na formação das crianças e dos jovens, tendo um importante contributo no seu sucesso educativo, particularmente ao nível da relação de apoio que o professor presta ao aluno fazendo, por isso, a diferença no seu percurso escolar (Jennings & Greenberg, 2009). 
Paralelamente, dados resultantes de várias investigações nacionais (Gaspar de Matos, Simões, Camacho, Reis & Equipa Aventura Social, 2015) e internacionais (Stengard & Appelqvist-Schmidlechner, 2010) revelam resultados inquietantes sobre a saúde, em geral, e a saúde mental, em particular, das crianças e dos jovens.  
Neste contexto, a arte de ensinar é cada vez mais desafiante, particularmente ao nível das diversidade e exigência adotadas pelo professor. Espera-se que o professor represente o suporte emocional dos alunos e seja regulador das suas emoções, promova um ambiente de sala de aula acolhedor e estimulante, seja um eficaz gestor de conflitos, à medida que transmite eficazmente os conhecimentos definidos nos currículos nacionais. Esse mesmo professor, segundo investigações recentes, consideram a sua atividade profissional muito stressante (StressLess, 2011), ao ponto de alguns desses docentes vivenciar um quadro sintomatológico de Burnout, correndo o risco de suspender o exercício profissional (Marques, Pinto & Alvarez, 2016).  
Vários estudos indicam que o nível de Burnout dos professores e o ambiente de aprendizagem gerado, tem consequências negativas para os alunos (Jennings & Greenberg, 2009). 

Neste sentido, de acordo com o Grupo de Trabalho para a Política Educativa ET 2020 (2014-15) da União Europeia, é urgente a assunção de novas capacidades e competências – life and emotional skills – potenciadas através da formação contínua dos professores. Nesta formação, a importância da promoção do bem-estar emocional dos professores e da apresentação de estratégias de gestão da sala de aula, de gestão da diversidade, do desenvolvimento relacional e da resolução de conflitos inspira o professor a ser um “modelo” para os seus alunos, com um elevado nível de consciência individual e coletiva, capaz de compreender o impacto dos seus comportamentos e dos seus estados emocionais, nos seus alunos (Jennings, 2016). 
O treino da Atenção Plena e a promoção da Inteligência Emocional dos professores melhoram as suas competências de ensino e aumentam a capacidade de gestão do stresse da profissão docente (Jennigns & Greenberg, 2009; Meiklejohn et al., 2012; Roeser, 2016). Também segundo estes estudos, este tipo de formação promove o bem-estar, as competências de atenção e regulação emocional dos professores, reduzindo os seus níveis de stresse e ansiedade. Otimizado o bem-estar dos professores, estes veem melhoradas as suas estratégias de ensino e, por sua vez, são gerados um melhor clima na sala de aula, a melhoria das relações interpessoais aluno-aluno, professor-aluno, níveis mais elevados de foco e motivação e maior sucesso académico dos alunos (Jennings, 2016; Sampaio de Carvalho, Marques Pinto & Marôco, 2016). Por sua vez, com esta formação é esperado que os professores adquiram as ferramentas necessárias para recordar, partilhar, inspirar e treinar, competências de vida a utilizar em qualquer momento e em qualquer local (Lopes et al., 2011).  

Registo: CCPFC/ACC-101406/18

Nº de horas acreditadas: 30

Modalidade

Presencial

Objetivos

Objetivo geral

Esta formação, baseada nas premissas acima apresentadas, tem como objetivo geral o desenvolvimento profissional dos professores, no âmbito da promoção das competências de gestão do stresse, de regulação emocional e de gestão da sala de aula, através do treino de habilidades de identificação, utilização, gestão e regulação das emoções, do treino da atenção e da comunicação positiva. 
 
Objetivos específicos 
Ao longo da formação é previsto que sejam alcançados os seguintes objetivos específicos: 
- Diminuição do distresse  - stresse negativo – dos professores e consequente melhoria do seu papel profissional;  
- Promoção do desenvolvimento das competências de autorregulação emocional e de atenção dos alunos; 
- Sensibilização dos professores para a importância do treino da atenção plena e da autorregulação emocional no processo de ensino-aprendizagem; 
- Aumento do sucesso pessoal de professores e alunos e do sucesso académico, na díade ensino-aprendizagem. 

Competências

Deixamos aqui alguns testemunhos e pessoas que realizaram esta formação:

"O percurso da formação revelou-se muito significativo e enriquecedor, na medida em que ao longo das sessões foram sendo abordados temas que me permitiram a tomada de consciência de que é possível fazer a diferença e com a nossa (professores) mudança de hábitos levar os alunos a tornarem-se pessoas/seres humanos com valores, mais do que sermos meros transmissores de conhecimentos técnicos."  (A.Silva, 1º CEB)

"O percurso formativo foi uma verdadeira viagem à descoberta deste “continente” que muito tem para descobrir o “ EU”. A introspeção realizada proporcionou descobertas pessoais e do colectivo, partindo de actividades empíricas individuais e ou de grupo, plasmadas em conteúdos subsidiários da Autorregulação Emocional, da Atenção Plena ( Mindfulness), da Comunicação não Violenta e da Escuta Ativa." (A.Costa, Ensino Pré-Escolar) 

"Esta formação permitiu-me perceber e tomar consciência que é na nossa atitude perante a vida e todas as suas vertentes, que está o motor que nos faz avançar degrau a degrau, encarando o que a vida nos dá como sendo aquilo que construímos." (C.Lobão, 1º CEB)

"O percurso formativo desta ação realizou-se de uma forma muito aberta, colaborativa, sentida e muito enriquecedora. As sessões foram ativas, participativas e muito dinâmicas. Pela partilha de experiências, por tudo aquilo que fomos dialogando, vivenciando, a ação foi muito significativa."  (P. Sá, 1ºCEB)

Plano Curricular

Esta formação integra 3 componentes formativas: 
- Autorregulação emocional 
- Atenção plena (pelo treino da atenção) 
- Comunicação positiva 

 
Autorregulação emocional 
Ao longo desta componente são trabalhadas competências emocionais, tais como a identificação, a compreensão, a utilização e a regulação emocional. 
Esta abordagem assenta, num primeiro momento, na apresentação de estudos realizados e de conceitos e perspetivas teóricas. Num segundo momento serão dinamizados exercícios de reflexão e do treino das competências emocionais, aplicáveis ao professor e aos seus alunos. Desta forma, é expectável que o professor reconheça os seus padrões emocionais e o seu perfil de reatividade, explorando a intensidade, a duração e a gestão das próprias emoções. Por último, é apresentado o papel das emoções positivas na promoção do bem-estar e da resiliência do ser humano, na sua plenitude. Desta forma, são desenvolvidas competências emocionais como a empatia para com os alunos e a capacidade de regulação emocional dos professores, perante situações desafiantes; e, a consciencialização da importância do clima motivacional dos seus alunos no sucesso académico. 
 
Atenção Plena/Treino da Atenção 
A atenção plena significa a capacidade de autorregulação e a consciência sem julgamento. A autorregulação da atenção promove a consciência metacognitiva de vivências emocionais e cognitivas no momento. Tal como um músculo, a atenção pode ser treinada e o treino sistemático da atenção promove resultados psicológicos positivos no âmbito da autorregulação emocional e da diminuição de sintomas ansiogénicamente disruptivos. Particularmente no contexto formal educativo, o treino de atenção contribui para a melhoria das competências de gestão da sala de aula pelos professores e para o desenvolvimento de competências como a empatia, a comunicação positiva e a gestão emocional. 
Nesta componente são trabalhados exercícios de foco e atenção plena, recorrendo às ferramentas humanas da respiração e dos sentidos. 
Deste modo, os professores veem aumentada a sua consciência do que acontece em contexto de sala de aula, o que, por sua vez, contribui para uma melhoria da relação professor-aluno. 
 
Comunicação Positiva 
O treino da comunicação positiva aumenta a experiência de emoções positivas ao longo do dia e diminui os conflitos aluno-aluno e professor-aluno.  

A comunicação positiva é uma ferramenta essencial para o professor, não só para a obtenção de benefícios diretos para a sua carreira, como para o desenvolvimento profissional de sucesso. O treino da comunicação positiva e da sensibilidade para utilizá-la em situações-chave promovem a experiência de emoções positivas durante o dia, o que, por sua vez, aumenta o bem-estar pessoal e diminui sintomas de ansiedade e depressão. Nesta componente, os professores conhecem as fases da comunicação positiva, as situações de maior adequabilidade na sua adoção e, através do role-playing é sistematizada os benefícios desta forma de comunicação e, por último, são conhecidos os seus benefícios, pessoal profissionalmente. Assim, estes exercícios promovem a capacidade de escuta, a adoção de um discurso positivo e a consequente criação de uma resposta adequada. 

Informação Prática

Horário

Data: 5 a 27 de Abril de 2019 (7 sessões)

Local: ISCIA - Aveiro

05 abril (6ª feira) - 18:30 - 22:30 (4h)

06 abril (sábado) - 09:30 - 12:30 - 14:00 - 17:00 (6h)

12 abril (6ª feira) - 18h30-22h30 (4h)

19 abril (6ª feira) - 18:30 - 22:30 (4h)

20 abril (sábado) -  09:30 - 12:30 - 14:00 - 17:00 (6h) 

26 abril (6ª feira) - 18:30 - 21:30 (3h)

27 abril (sábado) - 14:00 - 17:00 (3h)

Vagas

30

Propinas

100,00 €

Candidatura

Candidaturas abertas


Metodologias de realização da ação 
A formação será ministrada semanalmente, sendo implementadas diversas metodologias, a fim de garantir o alcance dos objetivos pré-definidos. 
Neste sentido, no início de cada componente, é adotada a exposição de conteúdos para a apresentação das componentes conceptuais e empíricas do programa. Posteriormente são desenvolvidas metodologias práticas, individuais e em grupo, através do role-playing, da consciencialização sensorial, de atividades de partilha e reflexão e da aplicação prática nos contextos escolares específicos dos formandos. 
 
Regime de avaliação 
A avaliação dos formandos é formalizada numa escala de 1 a 10, considerando, por uma lado, o percurso e o trabalho dos formandos ao longo da formação (assiduidade, pontualidade, participação nas sessões, realização dos desafios lançados entre sessões) e, por outro, através da realização de um trabalho de reflexão individual sobre as implicações da utilização das componentes trabalhadas ao longo do curso, nos âmbitos pessoal e profissional, e sobre a criação de estratégias adicionais de regulação emocional e de atenção plena. 

Pedir Informações

Candidatar-me!

 
 


Partilhe nas suas redes sociais:

Topo