Message

Adquira competências para lidar com a surdez

Topo
Formação Continua

Curso de Especialização em Língua Gestual Portuguesa

Departamento de Psicologia e Educação

Coordenação

Victor José Reis

A educação das pessoas surdas, através de métodos oralistas, parece não corresponder às necessidades educativas desta população. O oralismo, nas suas diversas configurações, passou a ser amplamente criticado pelo facto de que, embora pretenda propiciar a linguagem oral como forma de integração, esse trabalho educacional acentua, ao invés de eliminar, a desigualdade entre surdos e ouvintes quanto às oportunidades de desenvolvimento.

Cientificamente está provado que a primeira língua da pessoa surda é a língua gestual, a língua que ela adquire de uma forma natural, sem esforço, sem restrições, possibilitando o máximo desenvolvimento a nível cognitivo, linguístico, emocional e social, de uma forma harmoniosa.

Sobre esta matéria, várias têm sido as orientações lançadas por organizações nacionais e internacionais, nomeadamente: o PARLAMENTO EUROPEU, através do DOCUMENTO A2-302/87, que apela aos governos dos Estados Membros para o reconhecimento das línguas gestuais propondo para que estas façam parte integrante da educação dos surdos; a RESOLUÇÃO 48/96 das NAÇÕES UNIDAS (1993) sobre a “Normas de Igualdade de Oportunidades para Pessoas com Deficiência”, que sugere a necessidade de intérpretes de língua gestual na educação de surdos; a DECLARAÇÃO DE SALAMANCA (1994) sobre “ Princípios, Políticas e Práticas na área das Necessidades Educativas Especiais” que, para além de dar enfoque à utilização da língua gestual na educação dos surdos, reconhece que a sua educação poderá ser realizada em escolas especiais ou em unidades ou em classes especiais de ensino regular, dadas as necessidades específicas desses alunos; e finalmente a nível do nosso país, a CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA PORTUGUESA (1997), no seu artigo n.º 74, alínea h), que reconhece a língua gestual como instrumento de acesso à cultura e à educação.

DESTINATÁRIOS

Os destinatários deste Curso são Pessoal Docente de todos os grupos de recrutamento, com pouco ou nenhum conhecimento prévio de Língua Gestual Portuguesa (LGP).

Para além disso, esta formação insere-se nas recomendações Governamentais que visam o apoio, através de intérprete, aos utentes Surdos em todos os serviços públicos ou privados. 

Este curso está acreditado pelo Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua, sob o registo: CCPFC/ACC-100464/18.

Este curso de Língua Gestual Portuguesa, de 80 horas, tem como objetivo proporcionar aos formandos competências linguísticas e psicolinguísticas em LGP nível A1 e A2 (utilizador básico e o falante básico), segundo o Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas.      

Modalidade

Presencial

Objetivos

Este curso constituirá um espaço pedagógico capaz de desenvolver as primeiras formas de comunicação em Língua Gestual Portuguesa (LGP) e, sobretudo, criar nos formandos a necessidade e o prazer de a utilizar.

O objectivo deste curso é o ensino da LGP, tal como é usada pela comunidade surda, pelo que as aulas serão dadas directamente em LGP. Algum apoio será dado através de informação escrita sobre aspectos linguísticos, lexicais, culturais ou de uso da língua, durante este curso.

Os objectivos gerais deste curso são:

  • Favorecer a aquisição de conhecimentos e desenvolver capacidades e competências dos formandos no domínio das temáticas relacionadas com a Língua Gestual Portuguesa, a comunidade surda e a sua cultura;
  • Desenvolver competências de comunicação através do domínio da Língua Gestual Portuguesa.

Os objectivos específicos deste curso são:

  • Proporcionar conhecimentos básicos da Língua Gestual;
  • Desenvolver capacidades comunicativas e linguísticas em Língua Gestual, de modo a promover a integração mais eficaz entre professores, educadores, alunos e respectivas famílias;
  • Incentivar, enriquecer e inovar as práticas comunicativas relativas à educação dos surdos, potenciando uma melhoria qualitativa na comunidade surda.

No final do Curso, os formandos deverão ser capazes de:

  • Saber manter um diálogo com os surdos, tanto pessoal, como em comunidade;
  • Dominar com maior apropriação conhecimentos relativos à área da comunicação e da linguagem dos surdos;
  • Desenvolver competências comunicativas e linguísticas em língua gestual capazes de potenciar respostas educativas mais adequadas e ajustadas às pessoas surdas;
  • Possibilitar uma melhor comunicação entre familiares e na comunidade escolar;
  • Contribuir para uma real e efectiva integração dos surdos nas três vertentes: FAMÍLIA, ESCOLA E COMUNIDADE.

Plano Curricular

O conteúdo deste curso será aplicável a um leque de situações comuns, incluindo educação e interacção com pessoas adultas.

A estrutura dos Módulos é feita através de actividades para exercitar os olhos, nomeadamente, no desenvolvimento da atenção visual e da discriminação visual e em exercícios de memória visual e, também, através de actividades para exercitar o corpo, nomeadamente, em exercícios de agilidade motora, de expressão facial; de conhecimento do seu próprio corpo e de reconhecimento do espaço.

MÓDULO I – 8h 

– Apresentação

– Linguagem Gestual Portuguesa/língua gestual portuguesa

– Estrutura gramatical de LGP

– Bilinguismo

MÓDULO II – 8h

– Os 5 parâmetros da LGP

MÓDULO III – 8h 

– Números

– O Alfabeto Manual

MÓDULO IV – 8h

– A Família e Relacionamento

– Género

– Saudações/expressões e cortesia

MÓDULO  V – 8h 

– Calendário

MÓDULO VI – 8h 

– A Escola

– As Profissões

MÓDULO VII – 8h 

– Os Meios de Transporte e Comunicação

MÓDULO VIII – 8h 

– Divisões da Casa

– Portugal

MÓDULO IX – 8h

– O Vestuário

– Lojas

MÓDULO X – 8h 

– SignWriting (SW)

Requisitos de Acesso

a) Cópia do certificado de habilitações

b) Curriculum vitae

c) Nº do Bilhete de identidade ou cartao do cidadão

d) Nº de contribuinte

e) Comprovativo de pagamento no valor do curso. 

Informação Prática

Horário

Sextas feiras - 18:30 às 22:30

Sábados - 09:00 às 13:00 e das 14:00 às 18:00

O Cronograma do Curso será fornecido com a inscrição.

Vagas

25

Propinas

550 € (campanha de desconto de 10% - 495€)

 

Créditos

3.2 *

ECTS

10

Candidatura

Candidaturas abertas


Pedir Informações

Candidatar-me!

Prof. Doutor António Rebelo será o formadora deste curso.

O Programa do curso é composto por vários módulos, mediante o uso da dactilologia, aplicando alguns exercícios de desenvolvimento, reforçando algumas expressões, indicando alguns objectos e situações do quotidiano, evidenciando alguns verbos – os modos e os tempos e, finalmente, explicando a estruturação frásica. Complementa-se, ainda, este Programa através de um conto de histórias tradicionais e da discussão sobre vários temas da vida quotidiana e da actualidade que vão surgindo ao longo do Curso.

A Avaliação terá duas vertentes. Uma será a Avaliação Contínua (no e com o grupo) através da participação na aula e progresso demonstrado no uso da Língua durante o curso e a Avaliação Final através de uma Avaliação escrita e Avaliação em vídeo e a outra será o Relatório Final do Curso de Especialização que visará os conteúdos ensinados ao longo do mesmo.

A aprendizagem da Língua Gestual baseia-se na aprendizagem de gestos que envolvem as mãos e algumas partes do corpo. A avaliação faz-se verificando com o domínio dos gestos próprios da Língua Gestual executada pelos próprios formandos e através do relatório final.

Aos formandos com nota igual ou superior a 10 valores e que registarem uma frequência não inferior a 95% confere o ISCIA o Certificado de Especialização. Aos formandos com nota inferior a 10 valores ou que não se submeteram à avaliação e que registem uma frequência não inferior a 95% confere o ISCIA um Certificado de Frequência.

A candidatura/inscrição no curso que pretende, implica uma taxa de inscrição no valor de 25€, valor que será descontado no valor global do curso, caso efetive a sua participação no mesmo.

No caso de não haver candidatos suficientes para constituir uma turma nas datas previstas, este valor ser-lhe-á devolvido.
No caso de se inscrever e não frequentar a ação prevista, e de acordo com o regulamento em vigor no ISCIA, não existe lugar à devolução das verbas pagas.


Partilhe nas suas redes sociais:

Topo